Amigos das Palavras

Amigos das Letras

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Cântico 9




Grito de saudade e lamentações sobre a ausência do anjo.

Eu te busco; ainda estou sob os teus solenes votos; observo da sacada, o poente sonho viandante, e me devora a gretada solidão; sufoca-me o aroma das recordações.

2Eu te busco; as espirradeiras floridas deitam no escuro da noite um cheiro adocicado; os lábios da saudade soluçam na minha alma; penaliza-me o aroma das recordações.

3Eu te busco; o vento lambe os arbustos do descuidado jardim de áspera luxúria; nos tristes olhos meus dançam as cinzentas sombras; aflige-me o aroma das recordações.

4Eu te busco; não encontrei quem console meu pranto; o abandono fecha sua boca sobre minha alma; a angústia machuca o coração; lacera-me o aroma das recordações.

5Eu te busco; os terrores da noite assaltam meu leito e calafrios abalam o meu corpo; a tristeza engrinalda a alma sedenta de amor; angustia-me o aroma das recordações.

6Eu te busco; a chuva cai sobre os terrenos descampados de retorcidas feições; meu coração ferido pela ausência murmura o teu nome; assola-me o aroma das recordações.

7Eu te busco; as minhas mãos vazias, necessitadas de ti, agitam-se no ar; e meus olhos se enfraquecem privados de tua formosura; devasta-me o aroma das recordações.


(in Borboleta em Cinza: salmos profanos, Scortecci, São Paulo, 2008)

2008/2010 © Z.A. Feitosa, todos os direitos reservados